Programação

Evolution Foto Nova

De que cor é a sua sombra? Pode parecer uma pergunta simples, mas quando o eVolution Dance Theater sobe ao palco, não há uma única resposta. Em “Night Garden”, as coisas não são como elas parecem. Dança, acrobacia e ilusão se unem num show de pura magia teatral, visualmente fascinante.

OUT 17 e 18 - 20h
modinhas

Nascida no Brasil, no coração do Rio de Janeiro por volta da segunda metade do século XVII, a Modinha foi apresentada à corte de Lisboa pelo poeta, compositor, cantor, violeiro e carioca Domingos Caldas Barbosa (1740-1800). O grande sucesso alcançado levou músicos eruditos portugueses a adotá-las, adicionando-lhes características da ópera italiana. Assim, ela volta ao Brasil, trazida por músicos portugueses no inicio do século XIX, com a chegada de D. João VI e sua corte ao Rio de Janeiro. No final do século XIX e inicio do XX a Modinha ganha as ruas como música serenata. Quando a “era do radio” tem inicio, a modinha quase desaparece, ressurgindo nas obras de ilustres compositores cariocas e contemporâneos como Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Sergio Bittencourt e Chico Buarque. Embora realmente tenha havido uma diminuição considerável na produção de Modinhas, ousamos contradizer o musicólogo Mario de Andrade que, na década de 30, afirmava: “Mas a Moda se acabou, morta de saciedade em pleno mel”. Não, a Modinha não se acabou ali. Foi posta de lado e voltou à moda tempos depois. Os cariocas Vinicius de Moraes, Tom Jobim e Chico Buarque compuseram Modinhas. A Modinha não saiu de moda porque o amor e o romantismo rasgado, não saíram de moda. Surgiu no Brasil colonial, atravessou o Império, adentrou a República e embora tenha perdido espaço, volta e meia ressurge, e é regravada.

OUT 19 - 12h
cria1

CRIA é um grupo que valoriza a inteligência da criança. A proposta dos shows é homenagear os pequenos, mas sempre mantendo a comunicação com a família inteira através do universo lúdico.

Depois de passar com sua turnê “A Família” por palcos no Rio de Janeiro, São Paulo, Campinas, Curitiba, Belo Horizonte, Pantanal e tantos outros, chegou a hora do Grupo CRIA apresentar o lançamento de seu segundo disco, “Pra Bagunçar”. O novo trabalho convida o público a refletir sobre os personagens clássicos da infância e ressignificar suas histórias. Príncipes, princesas, vilões e super-heróis são desconstruídos de forma bem-humorada e descontraída. O show passa ainda por temas delicados como racismo e família, mas sem nunca perder a leveza.

OUT 21 - 11h30
martin

Com o conceito pop-clássico, o espetáculo Bandeira da Fé reúne, através da música, o popular e o erudito.

Dirigido pelo produtor João Wlamir, a peça musical é dividida em dois atos. O primeiro termina com uma exibição da porta-bandeira e do mestre-sala da Unidos de Vila Isabel, dançando um frevo-samba, com a participação de Tunico da Vila. O segundo culmina com um inédito jongo sintonizado, apologia a Zumbi dos Palmares. Este é o primeiro evento alusivo ao Mês da Consciência Negra.

NOV 03 - 19h30
portinari

Isaac Karabtchevsky, regência Hugo Pilger, violoncelo

 

Programa:

 

HEITOR VILLA-LOBOS

  • Sinfonia n° 6 – Sobre as linhas das montanhas
  • Fantasia para violoncelo e orquestra

 

MAURICE RAVEL

  • Pavane pour une Infante Défunte – Pavana para uma Princesa Morta
  • Daphnis et Chloé: Suite n° 2
NOV 24 - 16h